fbpx

21 Jan(Português) Índia: a beleza como escolha


(Português) Uma semana na Índia e alguns conceitos sobre a nossa realidade do Ocidente vão mudando. A Índia é bagunçada e empoeirada. Afinal, estamos falando de um país com 1,339 bilhão de habitantes (2017) num território que corresponde a menos da metade do Brasil. Fatos que promovem uma poeira e poluição insistentes. Ao mesmo tempo eles cuidam da beleza como poucos países que conheci até agora. O motivo é a crença de que a energia positiva se acomoda melhor nos espaços belos.

Leia mais

14 Jan(Português) Justiça nas decisões de um casal


(Português) Provavelmente quando este texto seja publicado estarei voando em direção à Índia. Sonho antigo que estarei realizando. Estive pensando porque tinha demorado tanto tempo para embarcar em direção a esse sonho… Há várias razões: tempo, dinheiro, outras prioridades e, sem dúvida, a resistencia que meu marido tinha por conhecer esse país. 

Leia mais

07 Jan(Português) Que você perdoe para reiniciar


(Português) Tenho pesquisado, estudado e refletido sobre a desigualdade e a injustiça. Ambas nos cercam e fazem parte da nossa forma de ser. Difícil alguém que não foi injusto ou aproveitou da desigualdade para se dar bem. Difícil quem não sofreu por causa de uma ou de ambas.

Leia mais

17 Dec(Português) O que tem debaixo da sua árvore de Natal?


(Português) Dezembro, a quinze dias do fim do ano, e o relógio parece ter ficado mais acelerado ainda. Existe uma certa paranoia generalizada em que as pessoas vivem como se o mundo fosse acabar. Muitos terão alguns dias de folga e o cansaço do ano – que, diga-se, não foi nada fácil – parece que não é mais suportável. Todos estão agitados. Todos parecem exaustos. Loucos para largar tudo e mergulhar em dias de praia e sol.

Leia mais

10 Dec(Português) Cinquenta e três anos. Como me sinto? Plena


(Português) Nesta semana que faço aniversário, inevitável refletir sobre minha vida. Sem dúvida a faixa etária dos cinquenta aos sessenta é muito especial. Você pode escolher envelhecer como um idoso, antecipando a velhice propriamente dita; você pode negar a sua idade e querer viver a vida como se tivesse quarenta ou você pode viver como se estivesse na exata idade em que está. Eu optei pela última opção.

Leia mais

03 Dec(Português) Sou uma feminista que adora cuidar do marido e da casa


(Português) Lembro quando comecei a primeira onda do Projeto Uno – pesquisa que realizo pela behavior, minha empresa – em 2010, tendo como foco as mulheres. Queria compreender em profundidade o que elas sentiam e entendiam sobre ser mulher num país como o Brasil. A época era propícia, porque estava se iniciando a discussão massificada sobre o empoderamento feminino. Lembro que, enquanto ia compreendendo crença a crença o que levava a nós, mulheres, construir o que é ser mulher, ia ficando furiosa.

Leia mais

26 Nov(Português) Temos mais de uma alma gêmea?


(Português) Outro dia conversando com uma amiga surgiu a pergunta título deste texto: será que temos mais de uma alma gêmea? Ela tinha amado profundamente uma pessoa, ficaram juntos por anos muito importantes para ambos. Eram felizes até o momento que os ciclos da vida os afastou. No amadurecimento, os objetivos e a perspectiva sobre o futuro que ambos tinham foram se diferenciando até se tornarem inconciliáveis. Cada um foi tomando interesses e rumos diferentes. Reagindo à vida de forma diferente. Foi nesse momento, que após muita dor, se separaram.

Leia mais

12 Nov(Português) Casamento de aparências. Por que ainda existe?


(Português) Desde jovem me questionava sobre o porquê um casal continuava junto sendo infeliz. Por ser uma pessoa observadora, desde pequena cresci notando casais assim. Lembro que ouvia as mulheres reclamarem seriamente de seus maridos. Ouvia os homens meio brincando, meio de verdade, lamentarem o fato de estarem casados. Via a reação das mulheres e, mesmo sem entender totalmente, notava que a frase dita pelos maridos, tinha base de verdade. Lembro que isso me fazia pensar sobre o que realmente significava o casamento para boa parte das pessoas. Era realmente por amor?

Leia mais

29 Oct(Português) A Bela e a Fera no amor. Será que vale a pena?


(Português) Aprendi a gostar de filmes e desenhos animados da Disney com meu marido. O fato de ter aprendido a gostar mais deles como adulta, me faz vê-los com um olhar de pesquisadora e analisar as mensagens que eles transmitem para nós. Um dos contos de fadas que gostei de ver na grande telona e no palco como musical, A Bela e a Fera, é meu tema de reflexão neste texto. Para mim esse conto de fadas representa o que vejo bastante nas minhas pesquisas: a crença que cabe às mulheres a tarefa de transformar o monstro em um lindo e amoroso príncipe.

Leia mais

22 Oct(Português) As vantagens de ficar velho: maior liberdade e responsabilidade


(Português) Quando era adolescente uma mulher e homem de cinquenta anos eram velhos. Assim de simples. Se vestiam como velhos. Agiam como velhos já que se esperava deles esse tipo de comportamento. Ser velho era ter maturidade e maturidade tinha a ver, naquela época, com sobriedade, seriedade e, pelo menos no meu país ,o Peru, certa sisudez. A meta era ser um velho correto, aceito pela sociedade.

Leia mais
(Português) INSCREVA-SE EM NOSSA NEWSLETTER

Nome

E-mail

Últimos posts

Instagram

  • Meus meninos 😍
  • Parabéns à cidade que nos recebeu de braços abertos há quase 13 anos. São Paulo uma cidade tão grande quanto o seu coração. De gente do fazer, criar, desenvolver, enlouquecer. Impossível não amar.
  • Good morning London!
  • Envolvidos completamente pela névoa navegamos pelo rio Ganges. Sem poder enxergar nada sentimos a umidade tomando conta de nós. A sensação era de ter entrado num filme de ficão. De tanta névoa o nosso barqueiro se perdeu. O tempo necessário para tornar tudo mais fantástico. Lentamente a névoa foi desvendando o lugar onde são cremados os mortos. Vimos um corpo sendo preparado para ser cremado. Por respeito é proibido fotografar as ceremonias. Somente homens participam da ceremonia de cremação. O corpo leva umas 3 horas para se queimar, alguns ossos e parte das cinzas são entregues às águas do Ganges para garantir que o ente querido vá direto ao paraíso deles, já que aqui para o hinduismo, nas margens do rio sagrado Ganges, é casa de Shiva, um dos deuses principais. No caminho para sair do local, o comércio da cremação acontece nas ruelas estreitas e sujas. Madeira sendo vendida, óleos, flores e cabeleireiros (os filhos homens raspam a cabeça em sinal de luto, deixando um rabinho mínimo na parte de trás da cabeça). Tudo acontece a menos de um quilômetro do lugar onde os indianos tomam se banho sagrado. Tudo junto, morte e renascimento. Como o deus Shiva é: integral.
#sagrado #hinduismo #shiva #india #fé #behavior #movimentoshumanos

Seguir!

(Português) Baixe o Projeto Uno

Nome*

E-mail*

Cargo

Idade

Gênero