23 JanA pluralidade no Sx e o Amor


Passei parte dos meus últimos dias assistindo o documentário Sexo e Amor pelo mundo da CNN. O documentário, sob o comando da jornalista Christiane Amanpour (disponível no Netflix), apresenta como são vistos e tratados o Sexo e o Amor em cidades culturalmente distante entre si. Embora ainda não vi todos os episódios, dá para ver que este documentário é uma bela oportunidade para entender o que são crenças e valores na prática, e, como, de fato, moldam nossa noção de realidade. Notar como as crenças, e os valores que elas suportam, fazem toda a diferença na visão de mundo que as pessoas têm sobre os mesmos temas. É o que faz o mundo ser plural.

Leia mais

05 DecO conforto da alienação ou a inquietação de agir no mundo?


Busquei iniciar as entrevistas do Projeto Uno logo após as eleições para captar o mais próximo possível o espírito das pessoas. Saber como o ambiente tóxico das eleições tinha tocado pessoas comuns. O quanto esse ambiente tinha influenciado sua visão de mundo. Especialmente no que se refere à identidade feminina e masculina. Centro dos meus estudos. Devo confessar que esperava encontrar pessoas com alto grau de agressividade. Algumas felizes pelo resultado e a fim da dar o troco pelos anos petistas; outras tristes e raivosas torcendo para que dê tudo errado. Ledo engano. O que tenho encontrado são características fortes nos brasileiros: delicadeza e desejo de paz.

Leia mais

27 NovAs máscaras que ocultamos até de nós mesmos


Aprendemos desde cedo a colocar máscaras para lidar com o mundo. Nossos pais nos ensinam que não devemos expressar tudo o que pensamos e queremos dizer.  De certa forma, vamos aos poucos aprendendo a calar e mentir. Comportamentos que assumimos benéficos e corretos para morar em sociedade. Com o tempo, desenvolvemos também o traquejo social que vai criando nossa persona – personalidade que usamos para nos apresentar socialmente – a qual ativamos assim que colocamos o pé fora de casa. Costumamos ter várias personas. Cada uma adequada a cada núcleo social. Todas unidas a uma persona principal para representarem o mesmo ser humano com diversas facetas.

Leia mais

22 OctSeguindo em frente


Há alguns dias ouvi o Ricardo Jung falar sobre o período pós eleitoral. Com sabedoria e conhecimento, ele foi trazendo racionalidade ao momento quase histérico que tomou conta do país nas últimas semanas antes das eleições. Como ele mesmo disse, fomos todos levados a um estado de irracionalidade, onde o medo se tornou latente. Tudo graças às táticas eleitoreiras que tiveram como foco polarizar a discussão. Em ambiente polarizado, argumentos racionais e propostas estruturadas costumam ter menos apelo. Ataques e defesas costumam ser melhor notados.

Leia mais

18 SepOs inevitáveis traços de racismos dentro de nós


Durante um longo e prazeroso almoço o tema do racismo surgiu após discutirmos que o ambiente politicamente correto estava tornando tudo muito chato. Segundo alguns, havia um exagero. Não é a primeira vez que ouço esse tipo de comentário. Sim, acredito que em alguns casos possa haver exagero. E mesmo assim, considero que ele seja vital.

Leia mais

17 AprA riqueza da não forma


Quando os primeiros Movimentos Humanos começaram a tomar forma nas minhas análises de pesquisa, fiquei entusiasmada com a possibilidade de observar novas formas sociais sendo criadas. Comecei a ver, por exemplo, como o homem ia tomando contato com sua sensibilidade, alterando seu aspiracional masculino. A esse processo e tudo o que isso implica, chamei do Movimento Humano O Homem Sensível. Vi também como o desejo de viver um amor romântico-companheiro que a mulher e o homem tinham, mesmo que nem sempre ousassem confessar, tinha se tornado uma realidade. Chamei essa forma de Movimento Humano A Volta do Amor.

Leia mais

16 JanHipocrisia ou simplesmente humanos?


Entanto o mundo dava milhões de likes ao discurso enérgico de Oprah na premiação do Globo de Ouro perante uma plateia com mulheres vestidas de preto em referência ao movimento #MeToo; o cantor Seal levantou a questão do que chamou de hipocrisia hollywoodiana publicando uma foto da Oprah beijando o até então todo poderoso produtor Harvey Weinstein, acusado de predador sexual de Hollywood.

Leia mais

15 NovDa Sociedade Par à Coletividade


O poder na relação homem e mulher vinha se transformando há anos e os casais que representavam a Sociedade Par tinham decidido viver diferente dos pais.

Leia mais

10 OctA equidade de gênero corporativo começa em casa


A equidade, em qualquer tipo de relação, significa igual chance para o que se deseja. E chance, neste caso, está intimamente ligada ao tempo disponível para se dedicar à carreira.

Leia mais

25 AugA Ilusão da coerência plena


A coerência plena pode ser rígida demais para os períodos de transição em que experienciar novas formas se faz necessário, em que mudar a visão de mundo é parte da adaptação e sobrevivência para os novos tempos.

Leia mais